MundoJP - Ler

Como aprender a ler em japonês

Qual método você utiliza para aprender kanjis? Ou ainda não começou a aprender? Você estuda e memoriza as leituras de um kanji por dia? Você não estuda leituras de kanjis separados, estuda palavras que tenham esse kanji específico?
É isso que abordaremos neste artigo, a melhor (ou a única) forma de se aprender a ler e a escrever em japonês.

Ler também:

Kanji
A escrita japonesa
Os japoneses sabem escrever kanji?
Digamos que você esteja se preparando para ser um chefe de cozinha. Você quer aprender a fazer diversos tipos de pratos e receitas, e para começar, nada melhor que um bolo. O que você acha da ideia de em vez de estudar a receita daquele bolo, em vez de aprender a preparar aquele bolo e depois partir para outra receita, você pega um dos ingredientes do bolo, por exemplo o ovo, e começa a estudar ele, para saber em qual prato ele pode ser usado, e quais formas que um ovo pode ser usado numa receita? Não é uma boa ideia? Por que todo mundo não faz isso? Depois você estuda a farinha, e depois, estuda o óleo e vê em quais todos os outros pratos ele pode ser usado. Assim, quando você precisar usar o óleo, vai saber como usá-lo.

Achou a ideia boa? Então estude as leituras dos kanjis isoladamente, um a cada dia, e assim saberá usar a pronúncia certa quando ler uma palavra em japonês. Se não achou a ideia boa, então convido-o a continuar lendo o artigo para conhecer um método que não considero como o melhor e mais rápido, mas como o único capaz de proporcionar a capacidade de ler em japonês.

 

Bom, então como eu sei qual a leitura daquele kanji naquela palavra se não for estudando as leituras do kanji? A pergunta que estava demorando para aparecer. Na verdade você não precisa saber a leitura, você simplesmente precisa olhar para aquela palavra e a reconhecer. Reconhecendo a palavra, você saberá como lê-la. Inevitavelmente, após conhecer diversas palavras que possuem kanjis em comum, saberá diferentes pronúncias de um mesmo kanji. Isso é natural. Eu não sei que 今夜 se lê “kon’ya” por saber que como os kanjis estão juntos, devo usar a leitura on’yomi, que no caso a de 今 é “kon” e a de 夜 é “ya“. Eu simplesmente sei que 今夜 é “kon’ya“. Da mesma forma que 今 é “ima“, 今月 é “kongetsu“, 今回 é “konkai” e 今日 é “kyou”. A propósito, como alguém que estuda kanjis isolados saberia ler 今日?

Aprender todas as leituras possíveis de um kanji não funciona quando existem 2000 a serem aprendidos.
Nós não lemos de froma sisetmtáica, loems por itnuição, oalhmos praa a palvara e já saebmos o que etsá esrcito.
A melhor forma de aprender a ler os kanjis é aprendendo a ler palavras inteiras.

  • 車 (kuruma) Carro
  • 歯 (ha) Dente
  • 紙 (kami) Papel
  • 手紙 (tegami) Carta
  • 折り紙 (origami)
  • 歯車 (haguruma) engrenagem
  • 電車 (densha) Trem (elétrico)
  • 消防車 (shoubousha) Caminhão dos bombeiros
  • 救急車 (kyuukyuusha) Ambulância

Só aqui nós aprendemos duas leituras para 車 (kuruma / sha), e a ideia que ele trás é de veículo/maquinário, e que a pronúncia de alguns kanjis mudam: くるま -> ぐるま / かみ -> がみ .
Essa última característica chama-se rendaku, quando a pronúncia da primeira sílaba do último kanji de uma palavra é levemente modificada.

Como eu sei onde tem rendaku ou onde não tem? Não precisa saber! Mal os japoneses sabem qual a regra para o uso do rendaku. Isso até demorou para ser descoberto. Se você conhece aquela palavra, vai saber lê-la, sem precisar seguir regras gramaticais. Tem muita gente que fala fluente as duas línguas e nem sabia que tinha um nome para isso.

Mas aí tem aquela questão: Os japoneses quando criança não aprendem kanji por kanji e suas diferentes leituras na escola?
Isso não os torna capazes de ler em japonês, eles estão imersos no japonês todos os dias. Eles já conhecem as palavras, falam fluente, e não se limitam a estudar apenas isso.
Nós aprendemos quando criança que o “s” no português pode ter um som de “s” ou de “z” dependendo da palavra, e há uma regra gramatical para isso, mas não foi isso que nos tornou capazes de olhar para a palavra “casa” e ler da forma correta em vez de “cassa”. Foi de tanto ver esta palavra escrita e ser corrigido caso fosse lido errado.
Em outras palavras, no português você não precisa saber o motivo de algumas palavras terminadas com som de U serem escritas com L, talvez nem exista motivo, ou é historicamente desconhecido, você simplesmente sabe que chapéu se escreve com U no final e carretel com L.
Se o seu objetivo é aprender a ler em japonês e não saber como surgiu a escrita (estudar etimologia) então não se atente tanto a saber leituras separadas de kanjis on’yomi e kun’yomi, ou se não estará estudando a farinha e o ovo.
lendo

Os kanas

Na questão do hiragana e katakana, que são fonogramas, não tem muito mistério, em uma semana você consegue aprender todos eles, porém na hora de ler sempre esquecerá muitos deles, principalmente o katakana. O que você deve fazer é estar em contato com eles TODOS os dias em tudo o que você fizer. Tudo aquilo que você pode alterar o idioma para japonês, faça-o. Leia mangás, escute músicas e acompanhe a letra em hiragana. Recomendo estes sites:

Não se preocupe se já passou 2 ou 3 meses que você estuda os kanas e não consegue ler de forma rápida e errando muito, vai demorar muito mais até que se torne “fluente” na leitura deles.
Tudo depende do tempo e da constância. E para ter constância num lugar onde não há coisas escritas em japonês a sua volta, ou seja, onde não há imersão, nada melhor do que utilizar os Flashcards. Se você usa os Flashcards de forma ordenada, você está fazendo uso da técnica que os linguistas (não somente eles, mas principalmente) chamam de SRS (Spaced Repetition system) que seria o contato regular diário com algo que você já aprendeu anteriormente (seja palavra, termo, frase, regra, símbolo, etc.), numa certa frequência de acordo com a necessidade de revisão de cada cartão. Quando no início, o cartão deve ser revisado mais vezes, e conforme for memorizando, o espaço de tempo entre as revisões vão diminuindo, então a frequência com que ele aparece é menor, dando espaço para cartas novas. Por isso o nome “Sistema de Repetição Espaçada”.
Existem aplicativos para isso, e o mais conhecidos deles é o anki, embora quase que o único conhecido. Recomendo ler este artigo caso queira saber mais a respeito.

Em resumo, kanjis se aprende com palavras e com a convivência diária. Toda e qualquer palavra, termo ou frase que aparecer na sua vida, ou que você acabou de estudar, trate de adicionar no seu conjunto de cartas para que seja enraizado em sua mente.

Bom, até agora, este artigo falou mais de como NÃO aprender a ler em japonês do que de como aprender. Porque na verdade não tem mito ou mistério, apenas o tempo e a convivência com os símbolos japoneses fará com que eles se internalizem na mente e a repetição é necessária. Quanto a escrever kanjis à mão, tem um artigo falando só disso aqui.

O ideal seria estudar textos e frases de exemplos em diversos contextos com explicações, furiganas e as traduções. Aqui mesmo no MundoJP há diversas frases traduzidas nos posts de notícias, letras de músicas, etc. Fique a vontade para coletar as frases e adicionar no seu Anki!

Pra finalizar, nunca desanime! É difícil SIM aprender a ler em japonês, isso ninguém pode negar (e se eu disser que é fácil, vai acabar desanimando mais ainda), mas lembre-se: Quanto mais difícil, mais valor tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *